domingo, setembro 30, 2007

A matriarcais Erínias

Clitemnestra era cortejada por Agamêmnon quando ainda era casada com Tântalo II. Agamêmnon assassinou o marido e o filho recém-nascido dela, forçando-a a casar com ele. Antes de ir para a Guerra de Tróia, Agamêmnon atraiu Clitemnestra até Áulis sob falso pretexto de casar a filha Ifigênia. Mas a rainha teve que ver o sacrifício da filha, para que o marido conseguisse bons ventos para a viagem. Nos longos anos em que o marido esteve na guerra, sem esquecer do sofrimento e humilhação pelo qual já passara, Clitemnestra uniu-se, talvez por vingança, a Egisto.

Após dez anos em Tróia, Agamêmnon voltou para Micenas, trazendo como espólio de guerra a profetisa Cassandra, irmã do raptor de Helena. Clitemnestra recebeu o rei e o sacrificou dentro do palácio, com a ajuda do amante Egisto. Depois foi a vez de Cassandra.

(...)

Solange Firmino

Texto completo na coluna Mito em Contexto, em Blocos online.



Imagem: Orestes perseguido pelas Erínias, de William A. Bouguereau

Um comentário:

Vera disse...

É muito prazeroso conhecer o berço da civilização humana através desses seres fantásticos. Enquanto ficamos a esperar o face-a-face olhemos para estas histórias. É possível que possamos pelo menos descobrir as pistas dos mistérios que buscamos.