quarta-feira, junho 22, 2005

Céu de Van Gogh

Trigal com corvos - Van Gogh

Onde ficam os passos
dos pássaros
nos vôos pelo céu?

Para onde vão as
marcas riscadas
em ziguezague
retas
círculos
rasantes
e linhas inexatas?

Quisera ter olhos
para ver...

Seriam como os riscos de
Van Gogh?

Solange Firmino

sábado, junho 18, 2005

Palavras... por Manoel de Barros

Somos parte da natureza. E, do mesmo modo, somos parte das palavras também. Quantas vezes uma palavra interrompe a gente e aparece? Quantas vezes ela se impõe sem que possamos entender por quê? Uns pensam que é mediunidade, mas é a palavra que fala em nós. Para um poeta,
a palavra que se impõe é mais forte que o sentido.

quarta-feira, junho 01, 2005

Metamorfose


METAMORFOSE

O casulo está cheio de silêncio.
Prepara a palavra na raiz.
O poema nasce do casulo-idéia.
Abre suas asas e
pousa na brancura do papel
à espera de fonemas
que se formem
e se transformem
em idéias
novamente.

Solange Firmino