segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Sob o céu de Urano

Quem nunca olhou “pálido de espanto” para o céu estrelado, como nos versos de Olavo Bilac?
Ora (direis) ouvir estrelas! Certo/ Perdeste o senso! E eu vos direi, no entanto,/ Que, para ouvi-las, muita vez desperto/ E abro as janelas, pálido de espanto.../ / E conversamos toda a noite, enquanto/ A Via Láctea como um pálio aberto,/ Cintila.(...)
O homem sempre quis saber por qual motivo vive na Terra. E procurou entender o que os astros fazem acima de nós. Antes de saber escrever, já lia o céu e constatava os fenômenos naturais. Percebeu os movimentos das estrelas, as fases da lua, eclipses, trovões e outros elementos que fizeram com que ele colocasse no céu deuses e fenômenos sobrenaturais.
Nas lições da mitologia grega, o Céu é Urano, o deus primordial que representava o espaço. A Terra, ou Gaia, surgiu do Caos e criou Urano para preencher o espaço vazio sobre ela. Bem mais tarde, quando deixou os mitos de lado, o homem apontou a luneta para o céu e o viu com os olhos da ciência.
(...)
Solange Firmino
Texto completo na coluna Mito em Contexto, em Blocos online.


2 comentários:

Rose disse...

Sol querida, teus textos são um caso à parte: espetaculares!

Este é mais um, dentre tantos já escritos e dentre outros que virão...

Parabéns, querida. Você tem um talento ímpar!

Beijo grande,
Rose

Vera disse...

Gostei do texto. Fiquei feliz com os bons presságios que Urano nos aponta. Vamos aproveitar já: começo de ano, tempo de planejar novos objetivos, programar novas ações.