quarta-feira, outubro 04, 2006

Deuses gregos perto de nós


Deuses e mitos auxiliavam na compreensão da natureza e do homem na Antigüidade Clássica. Após a mitologia veio a Filosofia, que trouxe o pensamento racional para explicar os mistérios do mundo.

Milênios depois de Sócrates, Platão e Aristóteles, ainda discutimos seus pensamentos. A mitologia grega está mais distante ainda, mas continua sendo alvo de leitura, estudos e representações artísticas. Falar da Grécia Antiga hoje é lembrar dos deuses e suas lendas de elementos fabulosos.

Os gregos construíram templos, esculturas e histórias que se tornaram inesquecíveis. Elementos como filosofia, arquitetura, teatro, mitologia, entre outros, influenciaram a arte e o pensamento de quase todo o mundo. Tudo o que conhecemos como arte no mundo ocidental tem uma pitada do mundo grego. A Grécia influenciou diretamente não só a arte romana, mas vários períodos na história da arte, criando valores estéticos que seguimos até hoje.

(...)

Muitos monumentos sobrevivem ainda graças ao uso dos materiais utilizados. E graças à importância que deram às obras no decorrer da história. Durante muito tempo, os museus colecionaram a arte antiga adquirida em escavações de arqueólogos. E durante anos, também, os objetos chegavam de todos os lugares como souvenir, saques, concessões ou doações de mecenas feitas a países como França, Alemanha e Inglaterra.

No século XIX, Lord Elgin removeu esculturas do Parthenon e levou para a Inglaterra. Ainda estão espalhados pelos museus do mundo numerosos trabalhos como estátuas, vasos, jóias, moedas, estátuas, painéis, etc. Atualmente a Grécia está empenhada na restauração e reconstrução de seu tesouro arqueológico e luta pelo retorno dessas peças.

(...)

Solange Firmino



*** Leia o texto integral e um poema sobre o tema na coluna Mito em Contexto, em Blocos online.

3 comentários:

Rose disse...

Sol, adoro todos os textos e poemas que você faz e nos presenteia. Este não poderia ser diferente. Amei!

Um beijão, querida. :-)

Vera disse...

Nossos primórdios culturais, tal como nossa infância humana, nos legaram bases fantásticas. A possibilidade de ver essas representações nos acalenta, reanima, aflora significados. Essa exposição ainda não vi, um grande pecado, o qual pretendo me redimir.

Alex disse...

Solange - você escreve gostoso. Não ficou elegante dito assim, mas é o melhor elogio neste momento. Te encontrei por acaso, buscando expressões relativas ao Lácio e sua última flor. Achei seu texto sobre o Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo. Li outros textos, como o sobre mitologia, e adorei seu primeiro parágrafo nele. Que capacidade tão elegante de síntese! Quero te ler mais. Vou te manter inscrita nas minhas preferências do outlook. Obrigado! Por tudo, mas sobretudo, pela beleza, precisão e limpeza do texto. Me sinto feliz por compartilhar do idioma com quem escreve tão bem (e gostoso).