sexta-feira, dezembro 09, 2005

Teatro, eterno palco




O Teatro parece estar presente em qualquer tempo do que conhecemos como a história da humanidade. Seja como religiosidade, entretenimento ou outras expressões, a arte de representar expressou, em todas as épocas, os questionamentos do homem, que buscava compreender os mistérios da criação do mundo, da sua existência e de outros elementos que a memória mítica preservou.


O homem das primeiras sociedades tentava explicar seus problemas existenciais e sociais através dos mitos. Assim, aos fenômenos da natureza era atribuída uma origem divina. A Religião (do latim “religare”, ato de ligar) une o homem ao divino pela realização dos diferentes ritos lembrados pelos mitos.


A origem do teatro está nessas sociedades, em que atividades como danças, cultos aos deuses e elementos da natureza eram ritos considerados necessários à sobrevivência do grupo. Essas representações podem ser consideradas como início da expressão teatral pela forma imitativa com que eram realizadas.

Há exemplos de manifestações teatrais em vários povos antes dos helenos. Contudo, a herança do teatro ocidental está ligada aos mitos gregos e aos festivais religiosos em honra ao deus Dioniso.


Posteriormente, os próprios gregos formalizaram o teatro como espaço cênico e não mais como um ritual religioso. Através da mitologia grega, como conjunto das narrativas sobre deuses, heróis e homens, é possível acompanhar as transformações do pensamento daquela sociedade e das suas reproduções nas artes. Assim como as circunstâncias históricas, as artes também se modificam. Os deuses descritos por Hesíodo são diferentes dos deuses de Homero.


No século XXI, as máscaras carnavalescas não têm o mesmo significado que as tradicionais máscaras teatrais gregas. Mas o teatro grego e a mitologia ainda são referências em todas as artes. Mudam-se os mitos, os ritos e as religiões, mas o teatro continua sendo o eterno palco onde o homem expõe suas relações com o mundo.


Solange Firmino

*Texto escrito para a coluna "Célebres cenas" da E-Zine Entre Palavras.

 


2 comentários:

Luciana Pessanha Pires disse...

Sol, querida! Que espaço interessante! Gostei, vou ficar por aqui aprendendo. Beijos.
Luciana

Vera disse...

Ah, o teatro, ele sempre será a nossa necessidade. Bem esclarecedora a história que trás e muito certeira sua conclusão!
Bjocas

Ah, cadê os poemas?
(isto não quer dizer que não goste dos textos)