sábado, maio 14, 2005

Prece noturna


Quem escuta nossa queixa?
A noite dorme.
A sombra é cega.
A lágrima é inútil.
Os versos soltos se escondem
nos umbrais.
Cortam como lâmina,
mas nada dizem
na solidão das ruas.
Em preto e branco,
cegos tateiam no firmamento
traçado no vácuo.
Meu sono perdido
amanhece no avesso.
Quem escuta minha prece?


Solange Firmino


* Imagem: "Starry night", de Van Gogh.

3 comentários:

Vera disse...

Haikai para Van Gogh

Prece natural
O poeta se rende
ao brilho da lua

disse...

Oi, Sol...

Vim retribuir a visita q vc fez ao meu blog através do Orkut! vou te linkar logo mais! Adorei esse seu texto. Às vezes, nem mesmo nós ouvimos as nossas próprias queixas. Amordaçamos nossa vozes, silenciamos nossos gritos. Cortamos-nos com as nossas próprias navalhas. Palavras libertam... Beijos.

Rose disse...

Sol, mais uma preciosidade!

Um beijão, querida!
Rose
:)