sábado, janeiro 19, 2008

Hermes, o mais ocupado dos deuses



Hermes foi fruto de um dos amores de Zeus: Maia, filha do Titã Atlas. A irada esposa de Zeus fez com que Maia se escondesse e ela deu à luz em uma caverna no Monte Cilene. Recém-nascido, Hermes deixou a mãe e saiu em busca de aventura. Foi ao monte onde pastava o gado do rei Admeto, guardado pelo irmão Apolo, e o roubou. Ofereceu dois animais aos deuses e, das tripas secas e esticadas, fez as cordas com que prendeu no casco de uma tartaruga, criando a lira.

Quando descobriu o acontecido, Apolo levou o astuto ladrão para ser julgado por Zeus. No início ele mentiu, mas confessou e jurou que nunca mais mentiria. Aliás, ele jurou, mas disse que não podia prometer contar a verdade inteira. Hermes se tornou símbolo de trapaça, por isso era protetor dos comerciantes e ladrões. E já que essas atividades dependem de argumentação, também era considerado o deus da eloqüência.

(...)

Solange Firmino

Texto completo na coluna Mito en Contexto, em Blocos online.

Um comentário:

Vera disse...

Mais uma vez você nos faz conhecer mais um ser fantástico, entidade que nos faz lembrar de nossa dualidade humana. Mensageiro por encargo guardaria ele as verdades absolutas ou falsificáveis?