quinta-feira, julho 19, 2007

Alexandre Magno, filho dos deuses

Em 356 a.C. Olímpia era rainha da Macedônia e deu à luz seu primeiro filho. Na noite em que o menino foi concebido, um relâmpago atingiu a mãe no ventre. O rei Filipe encontrou a esposa dormindo ao lado de uma serpente. Não sabemos se os fatos são verdadeiros, mas o menino era Alexandre, o homem que, enquanto vivo, já era lendário.

Na época em que Alexandre nasceu, as cidades-estado da Grécia e o Império Persa há muito brigavam. Apesar das vitórias, a Grécia ainda não era uma nação unida. No auge do poder, Filipe fundou a Liga de Corinto e unificou a maioria das cidades gregas, com exceção de Esparta. Seu sonho era unir gregos e macedônios contra o Império Persa, mas não deu tempo de realizá-lo, pois foi apunhalado em uma festa.

O filho de 20 anos subiu ao trono em meio a intrigas. Provou que era um herdeiro à altura e eliminou os adversários do reino. Antes de completar 30 anos, Alexandre era o maior conquistador da época, e um dos maiores até hoje. Foi senhor de um grande império e responsável por uma campanha militar espetacular. Descrições e relatos dizem que era belo e não passava de um metro e meio de altura, o que não impediu que fosse conhecido como Alexandre, o Grande.
(...)

Solange Firmino


Texto completo na coluna Mito em Contexto, em Blocos online.

2 comentários:

Rose disse...

Sol querida, mais um texto espetacular e com tuas 'pinceladas' bem peculiares. Alexandre sempre será um grande mito e estou encantada com tudo o que li. É sempre bom a gente ler sobre a visão de várias pessoas e uma delas é você, que faz isto tão bem.

Beijo carinhoso,
Rose

Vera disse...

Com as histórias e mitos aqui relatados um ponto a mais se adiciona ao conjunto que ora armazenamos, ora buscamos reviver e aprender. Os personagens, senhores do saber, da aventura, da força, do poder e de tantas outras mazelas ou magnanimidades nos levam a uma dualidade diária e rotineira, a própria condição humana.