terça-feira, junho 19, 2007

Os amores de Zeus

Zeus pertence à terceira geração divina: destronou o pai Crono, que já havia destronado o pai Urano. Após anos de luta contra os Titãs, Zeus venceu e conquistou o Olimpo. Castigou os inimigos, concedeu o poder do mar para o irmão Poseidon, o mundo subterrâneo para o irmão Hades, e tomou para si o céu e o poder do mundo mítico.

O domínio de Zeus também foi consolidado com uniões amorosas que produziram deuses e heróis, confirmando um de seus atributos de deus da fertilidade. Muitas regiões da Grécia diziam ter um herói nascido dos amores de Zeus. Famílias reais ou míticas apontavam um ancestral como filho de Zeus, afinal, a origem divina também era um atributo da realeza.

Vários estudos sobre seus amores explicam a simbologia que eles contêm, além do ritual religioso politeísta em que um deus celeste fecunda a terra, daí suas uniões com divindades de estrutura ctônia como Europa, Deméter, Sêmele e outras . As uniões com deusas pré-helênicas explicam o sincretismo que faz da religião grega uma mistura de crenças, e faz de Zeus o seu representante máximo.

(...)

Solange Firmino


Texto completo em Blocos online, na coluna Mito em Contexto.


Imagem: Europa e o touro, de Gustave Moreau

Um comentário:

Vera disse...

Poder, fertilidade, versatilidade, bravatas, lutas, conquistas, amálgama de concepções heterogêneas, disfarces. O másculo pode ter e ser tudo isso, mas o mito nos ensina que apesar disso, ele se rende perante o encanto da sedução feminina. Como vivem intensamente ainda hoje os amores de Zeus!