domingo, março 04, 2007

A mulher guerreira

Os homens costumam dizer que não entendem as mulheres. Provavelmente os homens, e até as mulheres, que não conhecem as deusas da mitologia não entendem mesmo. Há muitos estudos que pretendem conhecer a alma feminina, e muitos deles oferecem características arquetípicas das deusas como fontes dos padrões emocionais dos sentimentos, pensamentos e comportamentos femininos.

Um desses arquétipos é o da guerreira ou heroína, que possui características de bravura e coragem, tão necessárias à sobrevivência no mundo masculino e patriarcal. Atena é a deusa que nasceu guerreira, quando saltou adulta e armada da cabeça de Zeus. Repetindo o comportamento do avô Urano e do pai Crono, que engoliam seus filhos temendo a perda do trono, Zeus engoliu Métis quando estava grávida dele. Depois, com muita dor, Zeus pediu que Hefesto lhe abrisse a cabeça, donde saltou Atena.

Por ter saído da cabeça do deus, o maior poder de Atena era o mental. É o máximo de exemplo da mulher inteligente, de mente lógica e governada pela razão. A deusa da sabedoria era também protetora das artes e trabalhos manuais, um dos motivos pelos quais foi desafiada pela tecelã Aracne, que dizia ser mais perfeita que a deusa. Atena entrou disfarçada em um concurso com Aracne, que mostrou um trabalho impecável ilustrando os amores da Zeus. A deusa ficou brava e o destruiu, induzindo Aracne a se enforcar. Depois a deixou viver como aranha, condenada a tecer para sempre.



(...)



Leia o texto integral na coluna Mito em Contexto, em Blocos online.



Foto: Eu em frente ao Parthenon, templo dedicado à deusa Atena, na cidade de Atenas, Grécia.


5 comentários:

Keila disse...

Solange mostra-nos o quanto de poeta tem. Seus escritos têm rumo e sensibilidade. Por isso ficam tão gostosos de ler.
Parabéns à escritora. Tomara todos os blog's tivessem uma Solange em sua equipe...
Keila Mattioli

Vera disse...

Mais uma vez você nos brinda com texto tão bonito em importante comemoração. Conhecer estes mitos e a revelação da alma feminina através dos arquétipos é muito prazeroso para esta sua leitora, cujo imaginário vem se povoando de deuses e deusas há tempos.

Mão Branca disse...

Oi, Solange.
uma pergunta nada a ver: cadê a Simone do Entrepalavras?
[]s

Doroty disse...

Solange
Minha amiga sabe do quanto
eu admiro seu trabalho, meu comentário é só uma forma de acrescentar o que você já conhece.


Solange A Mulher Culta

E como o passarinho que semeia a Floresta, onde anda e transmite o saber.
Conhecimento que vai levando para todos Que têm contato.
E como uma arvore boa que com seus Frutos alimenta a alma, e aperfeiçoa os Valores, nutrindo os sentimentos.
Esta mulher e muito sabia e não guarda Pra si o que aprendeu.
Esta mulher e a Sabedoria.
Esta mulher se chama
Solange Firmino.
Feita exclusivamente para ser Solange Firmino

Dora Dimolitsas

Rose disse...

Espetáculo de texto, Sol! Você sabe o quanto aprendo lendo você.

Beijos mil, querida poeta.