quarta-feira, agosto 06, 2008

Deméter e os Mistérios de Elêusis


Várias cerimônias religiosas em que se cultuavam os deuses eram realizadas na Grécia Antiga. Os Mistérios de Elêusis estavam ente as mais importantes cerimônias e cultuavam Perséfone e Deméter, respectivamente Prosérpina e Ceres para os romanos. Deméter era filha dos titãs Crono e Réia. Divindade da terra cultivada, diferente de Gaia, elemento cosmogônico, Deméter era a mãe do grão, a deusa da agricultura, principalmente do trigo, considerado o mais precioso dos cereais.
Deméter teve a filha Perséfone com Zeus. A jovem era conhecida como Core, a donzela. Core crescia tranquila entre as ninfas e em companhia de Ártemis e Atena , quando foi raptada pelo tio Hades, com o auxílio do próprio Zeus. Enquanto colhia flores, Zeus colocou um narciso na beira de um abismo para atraí-la. Ao se aproximar da flor, Hades apareceu e a levou para o mundo ctônio. Os sofrimentos pelos quais Deméter passou após o sumiço da filha foram relatados no Hino Homérico a Deméter, composto no final do século VII a.C.
Deméter procurou a filha no mundo inteiro durante nove dias e nove noites, sem comer, beber ou se banhar. No décimo dia encontrou Hécate, associada ao mundo das sombras. A deusa ouviu o grito, mas não reconheceu o raptor, escondido nas sombras da noite. Hélio, o Sol que tudo via, contou a verdade. Irritada com Hades e Zeus, a deusa decidiu não retornar ao Olimpo e permaneceu na terra, abdicando de suas funções.
Solange Firmino


Texto completo na coluna Mito em Contexto, em Blocos online.
Imagem: Deméter, Perséfone e Triptólemo


3 comentários:

Maranganha disse...

Interessante, há quem diga que o livro de Apocalipse foi influenciado pelos símbolos presentes nos rituais eleusinos. Procede?

ELTON NEVES O ANJO DAS LETRAS. disse...

Os deuses gregos-romanos,são tão humanos em suas qualidades e defeitos,como alguém disse,a mitologia não nos fala do divino propriamente dito,mas do humano,parabéns Solange pelo belo trabalho em seu blog,vou add o link desta tua página em meu blog literário,para que meus leitores ao adentrar aqui,tenham muito mais conhecimento,beijos.

Ver@cidade disse...

Gosto muito deste mito, Perséfone, o grão semeado, que se desenvolve embaixo da terra e aparece na primavera sob a forma de novos frutos.

Feliz quem entende isso...

Acredito piamente no “Hino a Deméter”: “ Feliz aquele que possui, entre os homens da terra, a visão destes Mistérios. Ao contrário, aquele que não foi iniciado e aquele que não participou dos santos ritos não terão, após a morte, nas trevas úmidas, a mesma felicidade do iniciado.”

Afinal nascemos e morremos para muitas coisas nesta vida, quase todos os dias!