sábado, fevereiro 11, 2006

Dia da Árvore



Foto tirada por mim na rua do Catete

Sabedoria vegetal

"Retiro semelhanças de árvores comigo.
Não tenho habilidade pra clarezas.
Preciso de obter sabedoria vegetal."
[Manoel de Barros]


Há a estação dos frutos.
Ninguém celebra a estação das sombras.

[Mia Couto]


Da árvore, admiro as raízes fincadas na terra fértil.
Quero ser forte como o caule
que suporta adversidades.
Venero os galhos que acolhem ninhos.

Invejo a sombra confortável
e os frutos que guardam a semente.
Quando chega o outono,
saúdo as folhas que enfeitam o chão,
húmus vegetal,                                             
começo de árvore em outra estação.

Solange Firmino.

3 comentários:

vera disse...

Inspirada pelo poeta e pelas belas imagens da natureza você cria os desejos que também tornam-se meus.

Rose disse...


..."Árvores! Corações, almas que choram,
Almas iguais à minha, almas que imploram
Em vão remédio para tanta mágoa!" ...
::Florbela Espanca


Sol, tua poesia sempre me encanta e me emociona.

Um grande beijo, querida!

Graça Pires disse...

Gostei muito do seu poema. As árvores são muito inspiradoras. Talvez nós sejamos um pouco como elas procurando chegar ao azul ou quando queremos ser fortes"como o caule que suporta adversidades". As árvores dão-nos tanto na sua "sabedoria vegetal"...
Um beijo.

P.S. Não sei por que não consegue entrar no poema que deseja comentar. Eu uso o Google Chrome porque só pelo Google tinha imensos problemas. Obrigada por comentar.
Um beijo.