terça-feira, julho 19, 2005

Gabriel, meu filho


Inocência


Essa parte inteira de mim
nada sabe do instante
que passa pelo seu corpo
que cresce
nas fotografias diárias

Tampouco sabe das palavras do mundo
avessas ou fecundas
ditas ao vento
ou escritas na memória
e no papel

Imerso ainda em fonemas sem assombro,
nada sabe do futuro
de amanhã ou depois:
meu filho brinca
no tempo sem hora
que cerca seu momento
agora.

Solange Firmino



3 comentários:

Ricardo Bins disse...

Fala Sol, tudo bem? E ai, como tem passado?
Adorei o que vc escreveu, muito bom mesmo. Parabéns

Beijão,
Ricardo Bins

Corujinha disse...

Oi Solange, apreciei estas linhas tendo o Gabriel como inspiração. Excelente! Beijão e parabéns pelos demais escritos igualmente adoráveis!

Gláucia MG Quadros disse...

Solange, as pessoas são o que são.
Tem gente que nasce para ser carpinteiro. Poeta. Atleta. Viver pelo momento e por sua razão de ser. Por amar ser carpinteiro, poeta, atleta.

Cante sua Vida:
Ela é Linda.
Parabéns, Gabriel!